MAPA DO SÍTIO ACESSIBILIDADE TRANSPARÊNCIA PLUG ESCUTAContraste EscuroCONTRASTE:

O Núcleo das Juventudes é uma unidade do PlugMinas voltada ao desenvolvimento de ações coletivas de promoção da cidadania das juventudes, com foco especial na ampliação das possibilidades de desenvolvimento pessoal e cidadão dos adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade social. Para tal, o núcleo é estruturado em torno de dois programas educativos:

1) Laboratório de Educomunicação e Protagonismo Juvenil – Promove processos formativos baseados em experimentações em educomunicação, oferecidos a turmas de escolas públicas estaduais, bem como a coletivos de arte, cultura e cidadania constituídos ou integrados por adolescentes e jovens, prioritariamente integrantes ou egressos de escolas públicas. O intuito é, em processos formativos envolvendo as linguagens comunicativas (tais como artes gráficas, fotografia e audiovisual) criar oportunidades de expressão, por esses públicos, de temas relacionados aos direitos juvenis; 

2) Desembola na Ideia – Voltado à oferta de atenção psicossocial e ateliês artísticos, que são espaços de expressão, conversa e ressignificação de estigmas e de “profecias autorrealizadas” de trajetórias juvenis, tidas como irreversíveis, marcadas por diversas violências. Nessa perspectiva, o programa atende adolescentes e jovens em situação de alta vulnerabilidade, especialmente em conflito com a lei, que sejam encaminhados por parceiros do Sistema de Garantia de Direitos. A ideia é que esses sujeitos construam sentidos para as suas experiências, ao invés de repetir “enredos” que já estão socialmente estabelecidos para jovens pobres com envolvimento com o crime.

Cursos oferecidos

  • Atenção psicossocial individual e em grupo para jovens em situação de extrema vulnerabilidade social.
  • Ateliês artísticos (artes visuais, paisagismo, estilo, música, dança, fotografia, gastronomia, entre outros), complementares ao programa de atendimento psicossocial.
  • Processos formativos em educomunicação, nos quais variados grupos juvenis criam produtos e campanhas de comunicação em direitos.

Duração: variável  

Turnos: manhã e tarde

A atenção psicossocial é oferecida todos os dias. Já o Laboratório de Educomunicação e Protagonismo Juvenil forma turmas que têm atividades de três a cinco vezes por semana, por um período mínimo de um bimestre.

Público 

Desembola na Ideia - O público é composto por adolescentes (12 a 18 anos) em situação de extrema vulnerabilidade social.

Laboratório de Educomunicação e Protagonismo Juvenil - Voltado para adolescentes e jovens ligados a projetos de comunicação cidadã propostos à AIC por escolas ou entidades parceiras.

Inscrições

Desembola na Ideia - Atendimento via encaminhamento pelas entidades do Sistema de Garantia de Direitos, mediante agendamento prévio. Telefone: (31) 2552-7600. E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.. São atendidos gratuitamente todos os casos de vulnerabilidade grave ou extrema.

Laboratório de Educomunicação e Protagonismo Juvenil - As turmas são formadas mediante parcerias com entidades e escolas públicas. A prioridade são projetos cuja viabilidade dependa da parceria com o Núcleo das Juventudes e que estejam localizados nos territórios de maior vulnerabilidade social da RMBH. Se a sua escola, organização ou coletivo se enquadra nesse perfil, dê uma ideia na galera! Contato para escolas e entidades interessadas: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Metodologia

O Núcleo das Juventudes tem uma metodologia que parte da compreensão de que é preciso construir caminhos para assegurar o direito à vida e à cidadania de adolescentes e jovens pobres, negros e periféricos, que estão entre as principais vítimas de violações de direitos no Brasil. E uma das grandes violações é simbólica: há um estereótipo, arraigado no senso comum, de que esse segmento da população seria um “problema social”, associado diretamente à violência nas cidades. Todas as estatísticas indicam, no entanto, que esse público é muito mais vítima do que autor da violência no país.

Desse modo, o núcleo acolhe adolescentes e jovens na perspectiva dos direitos e da promoção do desenvolvimento humano – que, segundo o PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento), “é o processo de ampliação das liberdades das pessoas, com relação às suas capacidades e às oportunidades a seu dispor, para que elas possam escolher a vida que desejam ter”.

A proposta é, portanto, promover oportunidades de participação, desenvolvimento e empoderamento junto a adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade social. É muito recorrente o discurso que vincula essas pessoas à falta: falta de recursos, de infraestrutura, de oportunidades, de perspectivas. É preciso quebrar o círculo vicioso dessas imagens estigmatizantes, que fortalecem os processos de exclusão social. Há que se investir na construção de espaços em que elas possam recriar suas trajetórias, provocar novos olhares e abrir caminho a uma cultura de inclusão.

A metodologia de trabalho, assim, volta-se à criação de oportunidades de participação e de diálogo. Há espaços voltados à orientação de projeto de vida, com vistas a possibilitar que cada adolescente ou jovem conte com uma escuta adequada à sua singularidade e possa refletir sobre sua existência, identificando desafios e traçando estratégias possíveis para enfrentá-los. Esse espaço de orientação é conjugado a ateliês de arte e a atividades de educomunicação, nas quais os participantes são convidados a refletir sobre os desafios que têm em comum e, ainda, a desenvolver coletivamente projetos de intervenção artística e comunicativa na cidade, voltadas à disseminação de temáticas relacionadas à promoção dos direitos juvenis. 

Por outro lado, as famílias, as redes educacionais e de promoção de direitos, além dos moradores de Belo Horizonte de modo geral, são convidados a participar das intervenções artísticas e comunicativas – estabelecendo, assim, um diálogo diferente com as juventudes que dão vida ao núcleo. Dessa forma, pretende-se que cada jovem seja o sujeito de um processo individual, familiar, coletivo e comunitário de construção de perspectivas efetivas para a sua cidadania e para a cidadania juvenil.

Essa metodologia se diferencia radicalmente das usualmente adotadas por instituições que desenvolvem ações junto a adolescentes em situação de risco social. Em lugar do desgastado discurso de “tirar das ruas” e “oferecer ocupação para que não apronte”, há que se garantir a esse público um lugar digno e cidadão: o lugar de um sujeito com direito a aprender e ensinar, a se expressar, a construir e compartilhar conhecimentos, a contribuir com a comunidade. É essa a aposta do Núcleo das Juventudes.

Nessa perspectiva, práticas meramente transmissivas, de conhecimentos prontos e engessados podem ceder lugar a fazeres que abram espaço a oportunidades de desenvolvimento humano e de construção da autonomia e do pensamento crítico. Emerge a possibilidade de valorização da diversidade, dos contextos de vida, das culturas e das práticas sociais dos sujeitos. Isso representa um avanço não só para o adolescente, mas para os adultos e as instituições também.

E aí, parece com você e com aquilo em que você acredita? Então chega junto, entre em contato com a gente e faça a sua proposta de projeto e/ou de encaminhamento! Estamos à disposição para atendê-lo da melhor forma possível!

 

 

Plug Minas - Centro de Formação e Experimentação Digital
Rua Santo Agostinho, 1441 - Horto
CEP 31035-480 - Belo Horizonte
Telefones:

Núcleo de Planejamento e Gestão (31) 3029-7150

 

Temos 146 visitantes e Nenhum membro online